Sacudir a pequenez


Muitos Sportinguistas celebraram a vitória de ontem como se o Sporting tivesse vencido um igual. É a prova maior que é preciso sacudir esta pequenez que insiste em instalar-se em nós.

O Sporting não pode andar aí a comparar-se com um Braga. Com todo o respeito que o Braga possa ou não merecer, o Sporting é um Clube infinitas vezes superior e com uma história muito mais rica.

Ser do Sporting é muito mais do que ficar ofendido quando um Salvador ou um Rui Alves tentam ofender-nos. Sentirmo-nos ofendidos quando eles fazem essa comparação é transportá-los para um patamar onde eles nunca vão estar. E que só têm uma pequena ideia do que é quando se metem às nossas cavalitas.

A atitude ideal é deixar que o tempo os volte a meter no seu sitio. Neste momento o Nacional prepara-se para espalhar nevoeiro pela segunda divisão e o Braga vai no terceiro treinador da época e com o quinto lugar tremido. Se nos basta ser melhor que isto, estamos muito longe de ser campeões.

Temos que pegar nos 3.5 milhões de adeptos que formam o Sporting e injectar-lhes a atitude necessária para o Sporting continuar a ser grande. Se não, qualquer dia estamos a celebrar empates em casa com o Tondela como se fossem vitórias.

Para se ser campeão é preciso ter-se mentalidade de campeão. De vencedor. Não de um qualquer saloio que fica feliz por responder a umas bocas de outro saloio.





Comentários